Você sabia que caminhões Peterbilt e Kenworth já foram produzidos no Brasil? E, ainda, que esses veículos foram exportados para os Estados Unidos e Canadá? A curiosidade, que parece ‘história de pescador’, aconteceu nos anos 1980 e é ligada diretamente à Volkswagen.

A fábrica brasileira da montadora alemã e a Paccar Inc., uma das maiores fabricantes de veículos pesados dos EUA, firmaram um acordo em 1985 para a produção de veículos e peças de caminhões aqui no Brasil.

Peterbilt e Kenworth
Detalhe do VW 13.210 com a placa do Peterbilt. (Foto: Arquivo VW)

O contrato, que tinha validade de 10 anos, envolvia o valor aproximado de US$ 300 milhões e a produção de cavalos mecânicos 22.210, produzidos especialmente para exportação para os Estados Unidos e Canadá, onde foram vendidos sob as marcas Peterbilt e Kenworth. Além deles, também faziam parte do acordo a produção de caminhões Volkswagen 13.210 para o mercado norte americano e canadense.

Kenworth K300

As primeiras cinco unidades do cavalo mecânico do 22.210, que seriam usadas para apresentações para revendedores Peterbilt e Kenworth e para a imprensa, foram enviadas para Houston em janeiro de 1988. Além deles, junto também foram embarcados 50 caminhões 13.210.

Peterbilt e Kenworth
Kenworth com câmera fria
Como eram os pesados

O 22.210 foi o primeiro cavalo mecânico da Volkswagen e, tal como o seu ‘irmão menor’, o caminhão 13.210, foi produzido com exclusividade para exportação.

Ambos possuíam o mesmo motor Cummins CT 8.3, turboalimentado, de seis cilindros em linha, com sistema de injeção direta e 210 cavalos de potência. A distância entre eixos era de 3175 mm, para o 22.210, e de 4572 mm, no 13.210. Além disso, ambos eram equipados com rodas de aço estampado e pneus radiais sem câmara.

Peterbilt e Kenworth
Volkswagen 22.210 com a marca Kenworth. (Foto: Arquivo VW)

As cabines dos dois eram iguais, no entanto o cavalo mecânico possuía suspensão traseira mais macia, para minimizar as vibrações e trazer maior conforto na dirigibilidade.

Cavalo mecânico com a marca Kenworth.

Para essas máquinas também foi desenvolvida uma transmissão Eaton Clark, de seis velocidades totalmente sincronizada, para aumentar sua capacidade de tração, principalmente no 22.170, que possuia PBTC (peso bruto total combinado) de 22.700 kg, enquanto o 13.210 tinha 13.170 kg de PBTC.

Adequação ao mercado norte americano

Para ser devidamente homologado ao mercado norte americano, a Volkswagen precisou realizar uma série de testes. Foram mais de um milhão de quilometros testando durabilidade e rodagem no Brasil, Alemanha e enfrentando o rigoroso inverno dos Estados Unidos, além de análises em laboratórios, para conquistar a homologação e iniciar a produção em série dos veículos.

Volkswagen 13.210 vendido pela Peterbilt em exposição nos EUA. (Foto: Arquivo VW)

A quinta roda da carreta foi o único item desses veículos não instalado no Brasil, sendo colocado pela Paccar, através de aplicadores credenciados. A opção foi para permitir um perfeito acasalemento da carreta com a quinta roda. Para isso, inclusive, toda a suspensão traseira foi recalibrada, com a instalação de molas semi-elípticas de duplo estágio, montadas em buchas elásticas.

Versão Kenworth do Volkswagen 13.210. (Foto: Arquivo VW)

Outra adaptação nos veículos feitas especialmente para a adaptação ao mercado norte americano foi a mudança do tanque de combustível, que foram aumentados de 190 para 280 litros.

Apenas em 1988, cerca de 400 cavalos mecânicos do 22.210 foram enviados para a América do Norte, para serem vendidos pela Peterbilt e Kenworth. Além de mais de mil unidades do 13.210. Ao chegarem ao hemisfério norte, os veículos ganhavam a nomenclatura de K300, quando vendido pela Kenworth e PT 270, quando comercializados pela Peterbilt.

Nas telonas

O Volkswagen 13.210, vendido com a marca Peterbilt nos EUA teve, inclusive, seus minutos de fama nas telonas. O veículo aparece no filme “The Chase” (Rotação Máxima, no Brasil), de 1994.

O longa, estrelado pelo ator Charlie Sheen (famoso pela série “Two and a Half Men” e o filme “Top Gang”) e pela atriz Kristy Swanson (famosa por interpretar a personagem principal da série “Buffy, a Caça Vampiros”).

Peterbilt 200 perseguido pela polícia, em cena do filme “The Chase”

No enredo, a dupla é perseguida pela polícia, que está atrás de Sheen. Durante a perseguição, um Peterbilt fabricado no Brasil atrapalha os veículos da polícia, atravessando a frente deles (assista a cena abaixo).


Vendas de implementos rodoviários aumentam no 1º semestre de 2019

IMPLEMENTOS CRESCEM

Petrobras reduz novamente o preço do diesel e da gasolina

NOVA REDUÇÃO

Primeiro trimestre do ano apresenta queda no roubo de cargas

QUEDA NO ROUBO DE CARGAS

Ministro anuncia que governo instalará mil radares em rodovias federais

INSTALAÇÃO DE RADARES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.