Planeta Mais

Caminhoneiros pelo mundo: Austrália

Caminhoneiros pelo mundo: Austrália

País oferece boas condições de trabalho aos caminhoneiros, mas demanda cresce por profissionais na área

 

Como será a vida de um caminhoneiro na Austrália? A profissão de caminhoneiro é uma daquelas que existem em diversos países do mundo, mas cada uma com as suas características. Aqui no Brasil temos uma cultura muito diferente de países europeus, por exemplo. E por mais que muitas coisas sejam influência de outros países, nossa cultura se junta a outras e acaba se transformando em uma coisa única.

Quantas vezes você já se perguntou como é ser um caminhoneiro em outro lugar do mundo? Será que as condições de trabalho e salário são semelhantes? Será que os hábitos e leis de trânsito são parecidos? O que é preciso para se tornar um caminhoneiro neste país? Para responder esta e tantas outras perguntas, trouxemos a série “Caminhoneiros pelo Mundo'', que vai contar curiosidades sobre a profissão em diversos lugares do planeta.

Vamos começar pela Austrália, um país com dimensões territoriais bem semelhantes ao Brasil. O clima e a diversidade de terrenos são bem comuns aos brasileiros que se mudam para lá. Mas, o transporte rodoviário australiano funciona de maneiras bem diferentes. As estradas não possuem a mesma infraestrutura e qualidade das europeias, ou a quantidade de neve das rodovias canadenses, mas têm muita segurança e boas condições viárias para os caminhoneiros.

A Austrália conta com uma malha rodoviária de 338 mil quilômetros de estradas asfaltadas e uma frota de aproximadamente 445 mil caminhões rígidos, mais 72 mil veículos de carga articulados, além de outros tipos, conforme dados de 2006. É um país que, assim como o Brasil, sua principal característica é o transporte de longa distância, mas diferentes de nossas estradas, lá as rotas, na maioria das vezes, são planas e viabilizam a aplicação de grandes composições, como os rodotrens ou, como é chamado por lá, ”road train”.

A profissão é bastante respeitada e bem vista pela cultura australiana, afinal, o país é cercado por desertos e são os caminhões que cruzam as estradas para garantir principalmente o abastecimento. O "Driver", como é chamado o motorista de entregas (e que inclui o motorista de caminhão) é uma das profissões que os brasileiros mais optam ao chegar ao país.

A jornada de trabalho do caminhoneiro na Austrália varia bastante em relação com a quantidade de entrega, tempo de trajeto e distância, mas, em média, o caminhoneiro trabalha de 8 a 10 horas por dia, com salário de 1 mil a 1.500 dólares australianos por semana, o que corresponde a quase 5 mil dólares por mês, o que dá mais de 20 mil reais por mês.

O salário geralmente é pago por quilômetro rodado, então, quanto mais se roda, mais se ganha. Em geral, a renda fica por volta de 120 mil dólares australianos por ano, o que corresponde a 10 mil por mês, mais ou menos 25 mil mensais). Salário médio inicial – AU$ 20/hora. Ter carteira de motorista australiana costuma aumentar o salário e a facilidade para arrumar um emprego como motorista.

As leis trabalhistas australianas são bem diferentes. No país, o caminhoneiro pode optar por um regime de trabalho de até 14 horas por dia, mas precisa fazer 7 horas de descanso. Essa legislação, por exemplo, só vale para os motoristas estradeiros e para conseguir realizar esse turno é preciso fazer um curso especial e andar com um certificado para apresentar em caso de fiscalização.

As estradas australianas têm muitas peculiaridades. Tem muitos pontos de parada espalhados pelas rodovias e alguns até servem um cafezinho de graça. Assim como os daqui do Brasil, o caminhoneiro pode esticar as pernas, dar aquela alongada, ir ao banheiro e seguir viagem. Mas, eles seguem um padrão de infraestrutura mais equipada do que os brasileiros.

O sistema de multas na Austrália é mais rígido. Enquanto que no Brasil o limite é 20 pontos por ano, no país a lei permite somente 13 pontos na carteira em 3 anos. As estradas e vias urbanas são equipadas com muitos radares, mas ao contrário do Brasil, isso é visto como muito positivo, pois para eles, garantem a segurança de todos.

Nas rodovias australianas, caminhões e carros não têm limites diferentes, por isso, é comum ver os motoristas pisando um pouco mais. Mas apesar disso, o costume dos motoristas é não andar muito colados, com exceção de trânsito, e a distância de caminhões e ônibus é bem respeitada, o que torna o trânsito mais seguro.

Assim como no Brasil, as cidades australianas possuem restrições de tráfego em horários e locais. Para quem trabalha com construção civil, por exemplo, a labuta começa cedo. No país os descarregamentos acontecem antes das obras iniciarem os trabalhos, antes das 07h da manhã. Como não tem a necessidade de conferência do chefe de obras ou algo assim, o produto é entregue mesmo sem haver funcionários.

Segurança é um outro fator curioso das estradas na Austrália. Acidentes acontecem, claro, mas comparados ao Brasil, por exemplo, o número é muito abaixo: em 2012, 170 pessoas morreram no país vítimas de acidentes com envolvimento de veículos pesados. Em 2011, esse número era de 205. Além disso, a segurança em relação à violência urbana também mostra outra realidade. Uma pesquisa australiana sobre as rodovias do país indica que há poucos relatos de roubo de cargas e assaltos à mão armada.

Muitos estrangeiros optam por trabalhar como motoristas de caminhão quando chegam ao país, já que a carta de motorista de outros países é aceita. Na Austrália a carteira profissional para habilitação, espécie de EAR no Brasil, é obrigatória para veículos acima de 6 toneladas. A CNH brasileira vale no país  até que se consiga a residência permanente, o que pode levar até alguns anos. Com a versão internacional da CNH é possível rodar pelas estradas australianas sem problemas.

Como é o caminhão na Austrália?

Na Austrália, os caminhões que mais rodam são os estilos europeus, mas também, é muito comum ver caminhões do estilo americano circulando pelas estradas do país. Os caminhões que mais circulam pelas estradas australianas são os brutões das marcas, Kenworth, Freightliners, Volvo, Scania e Macks. A Volvo e a Mack compartilham a mesma linha de produção, já que a empresa é uma subsidiária da Volvo desde 2000 e produz caminhões da marca. Somando com as marcas de outros países, a Austrália conta com um grupo de 16 marcas de caminhões na faixa acima de 16 toneladas de PBT.

Um bom exemplo dos caminhões típicos da Austrália é o 6900 FXC, da Western Star, que já é um produto consagrado no país, principalmente para aplicação em rodotrens. Com motor do 5800FE, tem potência de até 560 cavalos , ótima potência e muito conforto para o motorista, além de toda a qualidade Western Star. É o tipo de caminhão mais procurado pelos motoristas do país.

Muitos caminhões são equipados com os Bullbars, tipo de proteção frontal, porque a lei australiana permite devido ao alto número de atropelamentos de animais. A prática é permitida legalmente e o governo até determinou um padrão de produção e instalação a ser seguido. O equipamento deve seguir a forma do veículo ao qual está instalado e não ter saliências voltadas para a frente e nem bordas afiadas.

Os cangurus estão por toda parte no país — mesmo dentro de algumas cidades ou, em alguns parques, é possível vê-los. É muito comum encontrar com algum pelo caminho. Por conta disso, os fabricantes locais têm um teste específico para atropelamento de canguru e é comum ver caminhões, e até carros comuns, com uma barra frontal desenhada para direcionar o canguru para baixo.

Na Austrália, a mão de direção segue o padrão inglês, com o motorista do lado direito. Para ir mais rápido, é preciso usar a faixa da direita e para ir mais devagar, a faixa da esquerda. As vias são muito bem sinalizadas, principalmente as mais utilizadas por turistas, o que evita bastante acidentes e batidas de contra-mão. Uma curiosidade bem interessante é que no país não se paga pedágio nas rodovias, somente para entrar nas grandes cidades. As rodovias são livres de taxa.

Austrália: O país dos rodotrens

Nenhum outro país no mundo entende tão bem de caminhões gigantes quanto a Austrália; conhecidos como ‘trens rodoviários’, esses veículos possuem configurações com diversas carretas engatadas em um só cavalo mecânico. Por ser um país com muitas áreas remotas, em meados de 1930 a 1940 o governo australiano decidiu utilizar grandes caminhões para transportar cargas e suprimentos até o norte do país, região que só era acessível por trens e camelos.

Os rodotrens australianos são um dos maiores do mundo, com veículos com mais de 3 carretas e até 168 toneladas de peso bruto total combinado. Um dos fatores que torna possível a implementação desses veículos é o relevo e a grande extensão territorial da Austrália. A maior parte do território é localizado em um leve planalto de deserto, com poucas elevações suaves e poucas curvas. Desconsiderando a Antártica, a Austrália é o continente (ilha-continente) mais plano do mundo.

Aliás, na Austrália não existe um limite de peso bruto total combinado (PBTC), nem de comprimento. Por isso que na maioria dos rodotrens da terra dos cangurus usam-se composições a 120 toneladas. Cada estado da Austrália possui uma legislação diferente sobre as dimensões máximas, peso bruto total e número de semirreboques acoplados.

Existem também, caminhões que ultrapassam a quantidade de três, quatro e até cinco carretas rodando na Austrália. Esses veículos são empregados no transporte de grãos, minério, combustíveis e de animais em propriedades privadas do país.

E isso encanta muito os caminhoneiros estrangeiros. Muitos se capacitam para operar esses gigantes, principalmente porque a remuneração é superior e também, porque existe atualmente uma alta demanda de profissionais para esse setor, já que o transporte de grandes cargas tende a aumentar no país.

Como se tornar um motorista na Austrália?

Para trabalhar como motorista na Austrália, primeiramente, é necessário tirar um visto de intercâmbio para estudar a língua do país, caso você não fale inglês fluentemente. Após ter o idioma aperfeiçoado, o caminhoneiro poderá dar início ao processo para tirar o visto de trabalho para atuar na área e, posteriormente, o visto de residência. Então, para quem já tem experiência, fica ainda mais fácil arrumar emprego nessa área, já que no país faltam motoristas. Muitos exigem apenas sua carteira de motorista brasileira.

Mas, não é somente arrumar as malas e ir dirigir na Austrália. O país exige que o profissional estrangeiro tenha ao menos 80% de presença na escola, para aprender o Inglês, idioma do país e conseguir realizar as atividades necessárias para exercer a profissão. Enquanto está estudando, o motorista pode trabalhar até 20 horas por semana. Se o profissional não atingir essa porcentagem, pode até ser deportado para seu país de origem.

E aí, gostou de conhecer um pouquinho sobre a vida do caminhoneiro na Austrália? Tem alguma curiosidade sobre o país que você gostaria de saber? O que você mais achou interessante no dia a dia dos caminhoneiros australianos? Essa é só a primeira matéria da série sobre os caminhoneiros pelo mundo e fique ligado que, em breve, viremos com mais curiosidades sobre um outro país. Compartilhe com seus amigos e participe com a gente! Até a próxima!


Proteção frontal contra os cangurus, comum em caminhões e usada também em carros

Por Jornalista Pamela Emerich

Comentarios


x

INSCREVA-SE

Preencha os dados abaixo para se inscrever nos cursos do Planeta Caminhão
Ao clicar em Registrar, você concorda com os Termos e Condições estabelecidos por este site, incluindo nosso Uso de Cookies. leia aqui.