A Terezona, a Brejeira e o caminhão do Gyba:

A Mercedes 1524 do Gyba foi carinhosamente apelidada por ele de Terezona. Mas aí amigo você vai perguntar: Terezona? Não seria uma Brejeira?

Pois é. A 1519, que recebeu o apelido de brejeira, era a antecessora da 1524. A 1933, a Terezona, era um cavalo-mecânico de porte maior. E a 1524, que não recebeu nenhum apelido que tenha ficado famoso (nenhum que a  galera do Planeta Caminhão se lembre por aqui – se você lembrar do apelido específico dela, divida com a gente nos comentários), acabou sendo apelidada pelo Gyba de Terezona também.

A 1524 foi apresentada ao público em 1984, na 4ª Brasil Transpo. Um cavalo pra 35 toneladas, que sucedeu a 1519. Tinha motor turbo de 238 cavalos e transmissão de 8 marchas. Nesse mesmo evento, a Mercedes apresentou a LS-1932, para 45 toneladas.

A Brejeira:

Dizem os entendidos que brejeira era o apelido da 1519 porque zunia demais e pouco andava. Fazia barulho, mas não desenvolvia velocidade final. Na época, a brejeira vendeu bem, mas seu motor 5 cilindros era um pouco gastão. E, pelo PBT, ela puxava uma carreta de dois eixos.

Seu motor era o OM-355/5, com 9,65 litros de capacidade cúbica do motor. Potência (DIN) na época era de 192 cavalos a 2200 rpm, enquanto o torque máximo era de 657 Nm a 1400 rpm. A caixa de marchas era uma ZF AK-6/80 (poderia ser opcionalmente equipada com uma versão sincronizada), e seu peso bruto total era de 15 toneladas, com capacidade máxima de tração de 32 toneladas.

Daí o caminhoneiro brasileiro, sempre criativo, dizia que faltava um cilindro pra ser caminhão (referindo-se aos motores 6 cilindros) e faltava um eixo pra ser carreta (pois não puxava 3 eixos).

A brejeira ficou conhecida também pelo seu interior… aconchegante. Na época comentava-se que ela chegava a depilar os pelos das canelas do motorista. O ar fresco que vinha pela frente na grade para arrefecer o motor passava pelo radiador, passava pelo motor, esquentava, e uma parte dele ia parar no capuz interno do motor (o acesso à parte traseira do motor era feito por dentro da cabine).

Em outras palavras, a tampa era sempre um forno aquecido. Bom no frio. Nem tanto no calor.

Outra característica que a galera não esquece: seu câmbio temperamental. Era um câmbio assíncrono, que tinha que ser operado no tempo. Em outras palavras, caminhão que te obriga a trabalhar a aprender a dirigir. Só engata no tempo. Errou na subida, carregado, perigava de ter que parar e começar tudo de novo. E aguenta os comentários dos amigos…

1

Crédito: Site Caminhão Antigo Brasil. Veja mais sobre a 1519 no link abaixo:

http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/catalogos-e-folhetos/mercedes-benz-caminhoes-catalogos/agl/agl-original/ls-1519-81/

A 1524:

Daí lançaram a 1524, e com ela vieram diversas melhorias. O motor, ainda 5 cilindros, recebeu um turbocompressor, e bomba injetora com LDA, que auxiliava na redução da fumaça.

Seu motor, agora chamado de OM-355/5 A, dispunha da mesma capacidade cúbica, de 9,65 litros. Porém, graças a seu sistema de turbocompressor, a potência agora alcançava 238 cavalos a 2100 rpm, enquanto seu torque foi a 965 Nm a 1200 rpm.

A transmissão passou a ser a ZF 4 S 120-GP, com anéis sincronizadores, de 8 velocidades. E apesar do PBT do cavalo ter se mantido 15 toneladas, o PBTC dela passou a ser de 35 toneladas.

Ficou conhecida por ter sua transmissão manhosa. Arranhões em troca de marchas, principalmente em transmissões com quilometragem mais alta, ocorriam com frequência.

Daí o mercado buscou solução, e muitas 1524 passaram a receber transplantadas caixas de Volvo, caixas da Mercedes 1935 e caixas até o VW Titan, que é o caso do caminhão do Gyba.

ficha tecnica mercedes benz 1524

Crédito: Site Caminhão Antigo Brasil. Veja mais sobre a 1524 no link abaixo:

http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/catalogos-e-folhetos/mercedes-benz-caminhoes-catalogos/agl/agl-cara-preta/ls-1524/

A Terezona:

Já a 1933, que doou seu apelido para a 1524 do Gyba, bem… a principal história da origem desse apelido não vamos relatar aqui pois temos menores de idade lendo Planeta Caminhão também…

Apelidos:

Fato é que estas séries tiveram muitos apelidos…. Mula, muriçoca, brejeira, terezona, chaleira, Assadeira de mocotó, micro-ondas, churrasqueira móvel, alguns chegavam a dizer que estes caminhões tinham 3 caixas – duas na transmissão e uma terceira cheia d’água para refrescar as canelas. Apelidos carinhosos para uma série de caminhões que coleciona admiradores até hoje – ainda que alguns estejam com a batata da perna mais lisinha…

Lembra de outro apelido? Divida com a gente nos comentários – apaixonados por caminhão adoram saber mais e relembrar.

Agradecimento especial ao Gyba e aos importantes sites que mantém a história dos caminhões brasileiros: Caminhão Antigo Brasil e Lexicar Brasil.

Histórias de caminhão do Gyba:

Caçambeiro vem de berço – olha os caminhões que o pai tinha:

                           O Fordão, o primeiro caminhão de trabalho do pai.

fordao planeta

                           A 1113, trucada.

Untitled design (63)

                           A 1113 toco, depois de tirar o terceiro eixo (para judiar menos do caminhão).

1113 toco gyba

                          1519 – Último caminhão do pai. Mais de 10 anos com ela.

caminhão gyba

Os caminhões da vida do Gyba:

Mercedes 1519 (a brejeira, com câmbio sem anéis sincronizadores). O primeiro caminhão que o Gyba dirigiu na vida.

mercedes 1519 brejeira

Untitled design (48)

                          Mercedes 1516 azul Leco (na época os caminhões do Leite Leco usavam essa cor), primeiro caminhão de trabalho do Gyba.

Mercedes 1516 azul Leco

                          Segundo caminhão de trabalho do Gyba: Um Mercedes 1313.

Mercedes 1313

                          A Terezona do Gyba, antes de ser preta. Várias alterações foram feitas com o passar do tempo até ela chegar do jeito que é hoje.

Untitled design (55)

Untitled design (54)

Untitled design (53)

Untitled design (52)

Mais imagens do caminhão:

arejapa terezona

motor terezona

motor 1524

Bônus:

                      (Fotos de quando o Gyba ainda era flogueiro, viajando com o pai e tirando fotos de caminhões – em máquina de rolo que tinha que revelar, gastar dinheiro.)

gyba flogueiro

gyba flogueiro

gyba flogueiro

gyba flogueiro

Curtiu? Agora confira mais fotos que fizemos da Terezona 1524 durante o nosso Making Of:

1524

TEREZONA 5

TEREZONA 1524 PRETA

Clique aqui para ver MAIS FOTOS


3 Respostas para Terezona 1524 Arejapa


  1. Eu tive um LP 321 e o apelido dele era Juca Bala!

  2. Aqui no RS o 1519 também é conhecido por “cachaço” pelo fato de alguns terem a caixa “seca”, sem sincronizado.

  3. Boa tarde!!!
    Alguém sabe .e informar aonde é o número do motor da 1524?
    O meu o Detran não achou.


[topo]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.