MAN

A novidade está sendo oferecida pela MAN para a linha TGX e chega em outubro.

A MAN está lançando o leasing operacional para 400 unidades da linha TGX. Ok, bacana. Mas o que essa modalidade de financiamento tem de vantagens e desvantagens para você?

Disponível para seus caminhões TGX 28.440, 29.440 e 29.480, a cota é relativamente reduzida, e de acordo com a MAN, será consumida em cerca de 6 meses. O programa pode ser ampliado de acordo com a aceitação do mercado brasileiro.

Mas, como funciona o contrato do leasing operacional?

O contrato é exclusivo para Pessoas Jurídicas, ou seja, caso você não tenha um CNPJ, esta modalidade não serve para você. A MAN diz que, comparados nas mesmas bases, as parcelas mensais podem ter redução de até 30% quando comparados ao Finame, e não há exigência do valor de entrada.

O contrato prevê mensalidades fixas até o fim da data acordada, e pode ser negociado em 36, 48 ou 60 meses. Quanto maior o prazo, maiores os níveis de exigências com a saúde financeira da sua empresa.

O contrato é feito com o Banco Volkswagen.

O que está incluso no pacote?

O Leasing Operacional contempla o cavalo mecânico, não sendo extensível a implementos e semirreboques. A manutenção corretiva e preventiva está inclusa. Incluso também está a telemetria, que inclui rastreamento e controle sobre a frota, e todos os custos com documentação, emplacamento e IPVA.

O que não está incluso?

Além do semirreboque, não entram também o seguro e os pneus. Segundo a montadora, cada operação possuiu sua peculiaridade, e como o seguro varia de acordo com o perfil de cada uma, ele é de responsabilidade de quem contrata o plano.

A responsabilidade sobre os pneus também são do contratante (trocas, reformas e entrega dos pneus em condições de uso).

E vale a pena?

Tem vantagens. Uma é que a revenda o caminhão não é de responsabilidade do contratante. É responsabilidade do banco receber de volta o caminhão. O contratante pode até comprar o caminhão no valor de mercado caso ache interessante, e até financiá-lo pelo próprio banco – se bem que esse não é o propósito desse tipo de financiamento.

Outra vantagem é contábil. A mensalidade na verdade é caracterizada como despesa de aluguel, e o caminhão não faz parte dos ativos da empresa, ou seja, o bem não será imobilizado. A operação não impacta os índices financeiros da empresa. Mais liquidez para financiar seu negócio.

Além disso, quem opera com o regime de lucro real (sobre o qual incide Imposto de Renda) poderá utilizar o valor integral da parcela para deduzir a base do PIS/COFINS.

Legal, mas e na prática?

Na prática você estará alugando o caminhão para sua empresa, e pagando mensalmente para o banco Volkswagen. Alugou, pega a chave, põe no seguro e vai andar. Não pôs no seguro? Se te roubarem o caminhão, vai ter que pagar para o banco, como em um financiamento normal.

A manutenção é por conta do Banco Volkswagen, e é claro que você tem que fazer todas as revisões na rede autorizada – mesmo porque está incluso na parcela e garante a integridade do caminhão.

O diesel (sim, o diesel, e pedágios também…) e os pneus (troca, recapagem) também são por sua conta – sobre os pneus, você tem que devolvê-los em condições normais de uso, não é necessário calçar seu caminhão com um conjunto zero para devolvê-lo.

Os riscos, como o risco de aumento da taxa de juros, o risco da manutenção, o risco do valor de revenda baixo no final do contrato, são do Banco.

O que ainda não estamos acostumados no Brasil é o fato de não ter propriedade sobre o produto, pois o caminhão fica em nome do Banco, e ao final do contrato o caminhão é devolvido.

Mas aí você pega outro, novinho, e continua trabalhando. Interessou saber mais? Vá em uma revenda MAN e faça as contas. Pode ser interessante para você.

De: Redação Planeta Caminhão
Fonte: MAN Latin America



Ford continua negociações para venda da fábrica no ABC

NEGOCIAÇÕES NA FORD

Hyundai e Allison anunciam parceria para produzir caminhões leves automáticos

PARCERIA

Pesquisa aponta que tabela de fretes afetou oferta de cargas para autônomos

OFERTA DE CARGAS


Trecho de Santa Catarina da BR-101 é arrematado em leilão

LEILÃO DA BR-101
4 Respostas para LEASING OPERACIONAL DA MAN
– COMO FUNCIONA?
  1. Gilberto Batista de Sousa 14 de outubro de 2015 at 23:50 Responder

    A ultima parcela é “metade” do valor, você devolve o caminhão, paga esta parcela e com o “troco” pode comprar outro. Uma desvantagem e a vinculação com a marca, você só pode se manter com a Man no caso. Uma dúvida, seria como é avaliado o preço do caminhão nesta “devolução ou troca”?

    • Gilberto tudo bem? Gilberto essa modalidade de leasing é diferente do financeiro, que tem o valor residual, que pode ser pago para você ter direito ao bem, ou abater do novo. Nessa modalidade da MAN, você devolve o cavalo e pronto. Como se fosse um aluguel. E, se você quiser comprar o usado, você paga ao banco o valor de mercado do usado. Realmente não é muito usual, mas é como é feito para veículos comerciais na Europa. Assim como qualquer outra modalidade de financiamento, tem que fazer contas para ver se é interessante ou não.

    • Somente o leasing financeiro pode ter VRG diluido nas parcelas….

      Mas existe a opção de comprar no operacional tb, nesse caso será considerado o valor de mercado do bem(ou seja, depreciado)..

      Interessante essa iniciativa..

      Planeta caminhão.
      Tem previsão de estender isso para linhas de caminhões “leves”?


[topo]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.