A Bridgestone anunciou recentemente uma parceria com o Grupo Delta-Energy, líder do mercado em recuperação de materiais de pneus inservíveis, para se tornar a primeira empresa a usar em escala o negro de fumo recuperado (rCB, na sigla em inglês) para a produção de pneus.

O início da comercialização em escala do D-E Black®, o produto de rCB desenvolvido pelo grupo Delta-Energy a partir de pneus inservíveis é um marco para o grupo Bridgestone em sua visão ambiental de longo prazo, de utilizar 100% de materiais sustentáveis e contribuir com a redução de mais de 50% das emissões de CO2 até 2050.

Negro de Fumo

O processo de extração de materiais do grupo Delta-Energy, por exemplo, produz 81% menos CO2 por tonelada, quando comparado ao negro de fumo virgem (vCB, na sigla em inglês).

O investimento também faz parte da missão mais ampla da Bridgestone de impulsionar uma economia cíclica que elimine resíduos a partir do uso contínuo de recursos. Dado que a procura de negro de fumo virgem supera a oferta de fornecimento, o investimento estratégico da Bridgestone oferece uma alternativa que beneficia não apenas a indústria de pneus, mas também o planeta de maneira geral.

“O Grupo Bridgestone está profundamente comprometido com a promoção de uma sociedade ambientalmente sustentável através do apoio a uma economia cíclica”, conta Nizar Trigui, Diretor de Tecnologia da Bridgestone Americas, Inc. “Esperamos que essa parceria com o Grupo Delta-Energy nos ajude a dar forma ao futuro do nosso setor e a garantir soluções de mobilidade eficientes para as próximas gerações.”

Parceria

Após analisar e avaliar os materias da Delta-Energy por sete anos, a Bridgestone se tornou sócia de capital da empresa no fim de 2014. Desde então, a empresa vem testando o uso do D-E Black como substituto parcial do vCB em novos pneus, realizando uma bateria de testes para garantir a qualidade e os altos padrões de desempenho dos pneus da Bridgestone.

Até o momento, a Bridgestone já adquiriu aproximadamente 235 toneladas de rCB, o que equivale a mais de 70.000 pneus inservíveis, resultando em uma redução de aproximadamente 345 toneladas de emissões de CO2 se comparada ao uso de vCB. Até o fim de 2020, a Bridgestone planeja aumentar o uso do D-E Black para 6.800 toneladas, o equivalente a 2 milhões de pneus inservíveis e uma redução de cerca de 11.000 toneladas de emissões de carbono – quantidade suficiente para abastecer aproximadamente 2.000 residências ou mais de 2.300 veículos de passeio por um ano inteiro. Através da parceria com a Delta-Energy, a Bridgestone transformará anualmente milhões de pneus inservíveis em novos produtos, dando a eles uma nova vida útil.

“Parcerias importantes como essa aceleram de maneira significativa a produção de soluções inovadoras para atender aos requisitos técnicos, econômicos e ambientais de iniciativas de desenvolvimento sustentável”, conta Bob Genovese, CEO da Delta-Energy. “A Bridgestone tem sido um parceiro inestimável desde o começo. Temos o orgulho de oferecer a eles e à indústria como um todo nosso apoio nas iniciativas de promoção de uma economia cíclica com o D-E Black. A Delta-Energy planeja construir diversas outras plantas na América do Norte nos próximos anos com o intuito de processar o D-E Black para uso em novos pneus e outros produtos de borracha.”

Atualmente, a Bridgestone usa o D-E Black em pneus de alta qualidade para veículos agrícolas e de passeio em suas fábricas de Des Moines (EUA), Aiken (EUA) e Cuernavaca (México) e avalia ampliar o uso em novas fábricas e linhas de produto.


Venda de bebidas alcoólicas é liberada em pontos de descanso

Lei proíbe tráfego de cargas perigosas em serra de Joinville

TRÁFEGO RESTRITO


Atego tem crescimento de vendas em Pernambuco

VENDAS DO ATEGO CRESCEM

PIB cresce no terceiro trimestre de 2019, mas transporte retrai

ESTUDO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.