O primeiro caminhão da Braspress, uma das maiores transportadoras de cargas fracionadas do Brasil, quando foi fundada em 1977 era um Mercedes-Benz 1113. Desde então, 43 anos depois, a transportadora mantém sua parceria com os caminhões da Mercedes e acaba de fechar um grande negócio com a marca.

O investimento de R$ 105 milhões viabilizou a compra de 235 caminhões Axor e 300 semirreboques baú da Facchini. Segundo a Mercedes-Benz, são 220 unidades do Axor 1933 e 15 unidades do Axor 2041. Os caminhões estão programados para entrega e entrada em operação entre outubro e dezembro de 2020.

“Esse é um dos maiores negócios de caminhões extrapesados que realizamos durante o período da pandemia até aqui”, informa Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Otimista com a recuperação gradual da economia, a Braspress mantém seu programa de renovação e ampliação de frota e escolheu 100% da nossa marca para essa aquisição de caminhões. Isso nos traz, como sempre, grande satisfação em atender nosso tradicional parceiro de mais de quatro décadas e uma empresa que é referência nacional no transporte de encomendas”.

“Nos 43 anos da empresa, isso é uma tradição nossa, os períodos de crise no País são os momentos em que mais investimos e mais aceleramos o processo de desenvolvimento dos nossos negócios”, diz Urubatan Helou. “A pandemia é como o clima, depois de grandes tempestades vem uma grande bonança. E eu tenho convicção que essa bonança está por vir e, quando ela chegar, a Braspress já estará preparada para poder atender as demandas dos clientes. Aliás, esperamos um boom no mercado on-line B2C, direto das empresas para os consumidores, a partir do segundo semestre de 2021. Se isso se confirmar, a Braspress estará pronta para entregar um maior volume de encomendas do comércio eletrônico”.

Boas perspectivas

O empresário ressalta que, apesar da queda do PIB em 2020, o Brasil irá retomar sua atividade econômica. “Em 2021, mesmo que aos poucos, o País deve voltar ao caminho do desenvolvimento, como vinha acontecendo antes da pandemia. E nós, operadores logísticos, não podemos virar as costas para a retomada porque o desenvolvimento do País depende muito do transporte rodoviário. Além disso, economia não é uma ciência exata. É também um exercício de otimismo. Se as pessoas tiverem convicção que em 2021 haverá prosperidade, os empresários devem investir mais no País”.

A Braspress tem matriz na cidade de Guarulhos, à beira da Via Dutra, e conta com 100 filiais espalhadas pelo Brasil. A transportadora opera com uma frota própria de cerca de 2.100 caminhões e cerca de 800 agregados, realizando mais de 60 mil entregas por dia e rodando quase 100 milhões de quilômetros por ano.

Os caminhões Axor comprados pela Braspress trazem todas as modificações e melhorias agregadas à família nos últimos anos, com destaque para o túnel do motor rebaixado, banco pneumático para o motorista, volante multifuncional, tacógrafo digital, freio a tambor para operações mistas, eixos sem redução nos cubos, câmbio automatizado Mercedes PowerShift, entre outros itens.

Redação Planeta Caminhão


Caminhões Constellation recebem nova transmissão automatizada nos modelos 24.330, 30.330, 19.360 e 25.360

IVECO amplia portfólio de serviços em 2020 com foco nos clientes

Mercedes-Benz patrocina Caravana de Natal da Coca-Cola 2020.

Mercedes-Benz do Brasil recebe o reconhecimento como a fabricante de caminhões mais inovadora do mercado brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.